Introdução    
Belém    
Fortaleza    
Recife    
Rio de Janeiro    
São Paulo    
 

Fortaleza
 
 
 


 

Problemática em Fortaleza

Fortaleza passou de 1,3 milhões de habitantes em 1970 para 2,4 milhões em 2000 [1]. Esse crescimento ocorreu com a ocupação de áreas ambientalmente frágeis, como margens de rios e dunas, ampliando a demanda por infra-estrutura. Uma das principais conseqüências dessa expansão precária são as inundações, que ocorrem com freqüência no 2o semestre do ano.

O déficit habitacional é estimado em 156,3 mil moradias e 37% dos domicílios apresentam carência de infra-estrutura [2]. Em contradição, há 69 mil domicílios vazios, que poderiam ser utilizados para resolver parte do problema [3].

O Centro e outras áreas providas de infra-estrutura vêm perdendo população desde a década de 1980, assim como atividades de comércio e serviços, devido à estruturação de novas central idades. A discussão sobre a melhoria do Centro com promoção de habitação social está no início, envolvendo técnicos e movimentos sociais locais.

Notas: [l] Dados IBGE Censo 2000; [2] Dados Fundação João Pinheiro 2005; [3] Dados IBGE Censo 2000.



 

   
Moradia é central