Projeto
 
 
 


 

Metodologia

No desenvolvimento do projeto prevemos duas fases de trabalho. A primeira envolve pesquisa e sistematização de dados para caracterização das áreas centrais e suas relações com a questão da habitação social e do crescimento das cidades. Essa metodologia foi aplicada nas cinco cidades parceiras do projeto, mas podem ser extendidas a outras cidades que tenham interesse em desenvolver a temática. O resultado desse processo pode ser verificado nas publicações disponíveis para downlowd.

1 - Análise geral: mapeamento de dados secundários
Como elemento de análise básico e comum a todos os municípios,realizamos o mapeamento de dados secundários, principalmente do IBGE e da RAIS. A partir destes dados foram produzidos mapas temáticos geo-referenciados e planilhas, comparando dados dos Censos de 1991 e 2000. Abordamos as seguintes variáveis: CRECIMENTO POPULACIONAL (1991-2000); VACÂNCIA (domicílios vagos); PERFIL DA POPULAçÃO (renda, idade, gênero) e CONDIÇÃO DE OCUPAÇÃO (alugado, próprio, cedido) . Além disso, foram utilizados dados da RAIS (2000 e 2006) para caracterizar a concentração de empregos nas áreas centrais.

2 - Pesquisa sobre vacância e potencialidades para produção e melhoria da habitação social em centros
A pesquisa sobre vacâmcia tem como objetivo melhorar a compreensão sobre as possibilidades de manutenção e produção de habitação popular nos centros, a partir da análise da situação atual e das experiências já realizadas.

Em cada cidade foram levantados os estudos existentes, produzidos pelos órgãos públicos, ONG ou pesquisadores acadêmicos. assim como sistematização de dados secundários e primários que contribuem para caracterização da vacância imobiliária e da demanda por habitação social no centro.

3 – Reflexão e Análise
Em cada cidade buscamos refletir sobre questões relevantes para a produção e melhoria da habitação social, tais como:

De que forma o Plano Diretor da cidade aborda a problemática da área central e, especificamente, as condições para manter ou ampliar a habitação popular? Que instrumentos do estatuto da Cidade contribuem para esse objetivo? Existem ZEIS nas áreas centrais?

Existem políticas publicas ou iniciativas privadas para recuperação das áreas centrais? Que papel (ou mesmo risco) têm essas iniciativas com relaçao à manutenção de atividades econômicas e de moradia popular na região?

Terrenos e edifícios vazios ou sub-utilizados: onde estão? Qual a melhor forma para adquiri-Ios e aproveitá-Ios? O uso misto moradia + comércio/serviços: como aproveitar as oportunidades existentes? Os domicílios vazios: que linhas de ação pública podem ser implementadas para que sejam utilizados? Ajudas à recuperação dos condomínios? Bolsas­aluguel?

Imóveis da União e de outras esferas públicas: como viabilizar sua destinação à moradia popular?

Financiamento: que tipos de recursos e linhas de financiamento podem ser implementados para garantir direito à moradia dos mais pobres no centro?

Experiências de produção: existem experiências de produção habitacional para população de baixa renda no centro antigo ou no seu entorno? Qual a avaliação de seus resultados?



 
   
Moradia é central